Carvalhal

Eu, este ano, estou a cumprir a promessa de ir ao Carvalhal.É onde mora a minha tia-madrinha Maria, que ficou em pulgas quando combinamos o dia. Quemulher! Admiro-lhe o conhecimento.…

Continue ReadingCarvalhal

Amor de Sal

Ilustração de @mouro.ao Não sei escrever poemas por mais que continue a tentar.Sou feita de histórias e de parágrafos,Não me consigo toldar!O meu ADN não me traz estrofes,Que as vidas…

Continue ReadingAmor de Sal

Minha Eugénia

Estávamos a meados de Agosto. O céu caía há três dias consecutivos, quando te vi pela primeira vez defronte da vitrine da minha sapataria. Bem-posta e bem vestida jurava-te bailarina,…

Continue ReadingMinha Eugénia

A carta

Querida mãe, (é assim que se começam as cartas, não é?!) Tive nega no teste de matemática, eu sei que achas que me posso esforçar mais, e o stôr acha…

Continue ReadingA carta

Café Central

Ilustração de @mouro.ao Se há dias em que fico petrificada, tão fria por dentro que por fora pareço gelo, outros, como hoje, sou toda força. Tudo começou quando a maldição…

Continue ReadingCafé Central

Quinta da Palha

Filho único da família de caseiros da Quinta da Palha, pertencente ao Sr. Bacelar e à Sra. D.ª Aura, casal da alta sociedade de Guimarães, sem descendentes, eu crescera rodeado…

Continue ReadingQuinta da Palha

Anónimo

Na Travessa do Alecrim entre passeios e degraus estavam umas mesas barril que juntavam pessoas e conversas. As ruas e os barris têm esse encantamento, puxam à conversa entre conhecidos…

Continue ReadingAnónimo