Lutador

Sempre vestiste preto para esconder os amassos das lutas em que te metias, rixas de rua cheias de pedras da calçada, e buracos de alcatrão. Quando eras pequeno e franzino…

Continue ReadingLutador

Vizinhos

Uma criança brinca com um carrinho quando ouve um latido ao fundo da rua, que a faz levantar os joelhos da lama. Aquele gesto repentino despertou a minha curiosidade de…

Continue ReadingVizinhos

Não é a hora.

Mais uma manhã que pesava, parecia que todos os galos da vila faziam dos ombros de Adelaide poleiro, onde cravavam as unhas sujas de terra para ganharem força para cantarem…

Continue ReadingNão é a hora.

2ª Circular

Agosto torrava cabeças, tejadilhos de carros e alcatrão, pelo que a maioria dos lisboetas fugiam da cidade em busca de água de nascentes, cascatas e mar, para arrefecerem neurónios e…

Continue Reading2ª Circular

O estalo

Boné preto de pala rígida, óculos escuros quadradões e corrente de prata ao peito. Vestia sempre calças de ganga esgarçadas e ténis pretos última moda. A mim que o via…

Continue ReadingO estalo

Esperança

Sarah era a única filha entre sete irmãos, era também as mais nova. Ao contrário do que seria de esperar isso tinha feito dela uma miúda afoita a pontapés nas…

Continue ReadingEsperança

O Charme do Amuo

Estavam a vir da Tailândia, felizes e apaixonados pelas peles bronzeadas que traziam e orgulhosos do perímetro abdominal cheio de noodles, caril e outras especiarias. Nesse regresso e apesar do…

Continue ReadingO Charme do Amuo

Um dia último

Fui à Janela e vi um emaranhado de folhas no ar, muitas, livres e revoltadas, desorientadas, como um bando que tivesse perdido o Norte. Umas castanhas mais claras, outras mais…

Continue ReadingUm dia último